23 de jul de 2015

[EU ESCRITOR] Pensando bem


   Semana passou voando -e eu aqui narrando- aprendi várias coisas novas, revi muitas, tive novas conquistas. Segunda-feira, noite familiar e Dia do Amigo, aprendi sobre "De que lado você está?". Terça, reposição das aulas que faltei no inglês. Quarta: Jurassic World e gripe forte. Quinta: Noticia da seleção para bolsa para participar do USBEA Summit em Brasília e logo mais a noite farei minhas visitas de Mestre Familiar. Programação para o fim de semana: Congresso Nacional (CNOD) em Curitiba; Almoço com meu consultor do FSY, jantar de gala e free-time com Thiago Veras#. Preocupado em manter um relato, um registro, talvez possa chamar de diário da vida que tenho tido, não tão monótona nem tão agitada - tenho refletido e acredito que estou sendo aquilo que na infância eu queria ser, vivendo o que eu queria viver.

  Hoje (quinta-feira, 23/07), minha irmã me mostrou um vídeo que fala sobre "TOP 5 Arrependimentos que as pessoas á beira da morte falam", eu achei muito interessante e você poderá ler logo abaixo. Minha reflexão foi um de certo ponto profunda com estes assuntos uma vez que estas coisas podem ser futuros causadores de arrependimento - fazer as coisas para não se arrepender de não te-las feitos, sendo estas coisas saudáveis, como saltar de paraquedas, "andar" de avião, fazer uma longa viagem com a família, sair com os amigos para um churrasco. Ou então, também, tomar as decisões certas para não ter que utilizar-se do arrependimento, como por exemplo, experimentar drogas etc.   
   Viver intensamente de uma forma sadia.  Para os rapazes membros da Igreja, aptos a servir missão de tempo integral (http://www.mormon.org/por/perguntas-frequentes/servir-missao) pode ser tornar um grande desafio preparar-se e ir. Ao ponderar sobre o assunto penso que além de todas as promessas que temos e dos conselhos dados pela escrituras, pelos profetas modernos e tantos outros, simplesmente o fato de pensar que no futuro você poderá se arrepender de não ter ido e não poderá mudar isso já me convence. o Élder Neil L. Andersen citou algo que me chamou muita atenção: "[...]missionários como ele nunca perguntaram: “O que eu ganho com minha missão?” Mas, sim: “O que posso oferecer?”. Além disso outro discurso que me fez refletir nesta última semana foi o deixa pelo Élder M. Russell Ballard na última conferência geral, são nove perguntas muito inspiradas que me ajudaram a melhorar: https://www.lds.org/general-conference/2015/04/the-greatest-generation-of-young-adults?lang=por (1º Néfi 6:5- Finalmente deixo-vos com a publicação do TOP 5:

1. Queria ter aproveitado a vida do meu jeito e não da forma que os outros queriam;
2. Queria não ter trabalhado tanto;
3. Queria ter falado mais sobre meus sentimentos;
4. Não queria ter perdido contato com meus amigos; 
5. Queria ter me permitido ser feliz;


"A vida é para ser apreciado não apenas suportada" - Gordon B. Hincley