3 de jul de 2012

Tarefa 4

Clique para ampliar

   As indústrias estão ligadas diretamente à cultura regional. Historicamente, as indústrias, ou qualquer tipo de trabalho, desenvolveram-se de acordo com os costumes dos nativos ou dos imigrantes que povoaram o local. 
   Na região sul, por exemplo, os colonizadores italianos e alemães, doutrinaram suas gerações futuras (nós), a manterem alguns costumes, como na construção de suas casas, suas roupas, alimentação, horários, formas de realizar as atividades, tudo de acordo com a realização das mesmas, em seus países de origem. As atividades industriais evoluíram a partir do aprendizado cultural, oque fazer, como fazer...
   Atualmente, as indústrias mantem-se e continuam desenvolvendo-se, só que de maneira contrária, não só aprendendo com a cultura local, mas sim, mantendo-a viva, sustentando-a.
Mas afinal, o que é cultura?
   Cultura (do latim colere, que significa cultivar) é um conceito de várias acepções, sendo a mais corrente a definição genérica formulada por Edward B. Tylor, segundo a qual cultura é “aquele todo complexo que inclui o conhecimento, as crenças, a arte, a moral, a lei, os costumes e todos os outros hábitos e aptidões adquiridos pelo homem como membro da sociedade”. Acto, arte, modo de cultivar; Lavoura.; Conjunto das operações necessárias para que a terra produza; Vegetal cultivado; Meio de conservar, aumentar e utilizar certos produtos naturais; [Sentido Conotativo/Figurado]  Aplicação do espírito a (determinado estudo ou trabalho intelectual); Instrução, saber, estudo; Apuro; perfeição; cuidado; Roupas ; Comidas.
E há uma definição para Indústria? 
    Habilidade para fazer alguma coisa; Artifício, invenção, engenho; Especulação, astúcia: cavalheiro de indústria; Conjunto das atividades, dos ofícios que produzem riquezas pela manipulação das matérias-primas.f. Aptidão, destreza, com que se executa um trabalho manual. Habilidade, para fazer alguma coisa. Arte, ofício. Profissão mecânica ou mercantil. Conjunto dos trabalhos, de que deriva a produção das riquezas. Conjunto das artes industriais, exceptuando a agricultura. (Fig.) Invenção; engenho; astúcia; Revolução Indústrial.

Fonte: JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO
 Debatendo a imagem.. (Debate ocorreu no Facebook: https://www.facebook.com/folhadesp)
Vinicius Cezar Foram infelizes na comparação.. Cada um escolhe a profissão que quer e tem o reconhecimento que escolhe.
 
Wellington Santana Walter Qual o problema de acontecer situações como esta? Imagino que uma situação como essa é temporária,uma vez que o carro tem que deixar de ser uma realidade para grandes metrópoles como São Paulo. E assim, é uma oportunidade desse cidadão de dar oportunidades para os filhos de terem profissões mais estáveis. Agora, ficar chorando porque o cidadão não tem estudo como um médico... Eu acredito ser egoísmo em pensar que só quem estuda tem direito a ter um bom futuro.
Theophylo Rocha de Amorim que peninha dos médicos. conheço um monte que tá pedindo esmola nas esquinas.kkkkkkk. quem fez essa pesquisa realmente quis manipular o leitor. uma pena.
 
 Rones Carvalho acho que vou no mecanico pra ele me operar....

Juliana Bianchi O q as pessoas acima não entendem é q o medico consegue ganhar bem sim, mas a custo de 60/70 horas de trabalho semanal. Mesmo assim existem muitos q ainda ganham pouco por trabalhar do com convenio. Vcs acham justo ganhar 280 reais por uma cesariana?
 
Pedro Franco nada a ver ! preços totalmente equivocados!

 
Rafael Oliveira Caiafa Para que pensa que os médicos estão reclamando de barriga cheia... A hora de trabalho media de um médico é horrivel, principalmente se avaliar todo o investimento na carreira. No entanto, é verdade que alguns médicos conseguem chegar a ganhar entre 10 mil por mês. O que ninguém procura saber, é que fazer estes médicos para conseguí-lo: trabalham em 3, 4 ou até 5 empregos diferentes; sábado, domingo e feriado; plantões de 36, 48 ou até 72 horas; enfim chegam a trabalhar de 100 a 120 horas por semana, tendo qeu abdicar da família, amigos e lazer. Levando consideração que um mecânico ganha 2 mil por mês para trabalhar 40 horas por semana, proporcionalmente o médico ganha menos do que ele.

Otávio Silveira Que comapraçao absurda , a folha deveria ser mais criteriosa em suas análises . Primeiro, o valor pago que ela citou , não é o valor que o mecânico eftivamente recebe, é sim o valor que a concessionária ou oficina cobra do usuario . Existe todo uma estrutura administrativa além do lucro da organização que o artigo não mencionou . Alguem conhece algum mecanico que more em mansões e circulem por ambiente sofisticados ??

Rafael Oliveira Caiafa O profissional médico não é o vilão do sistema, mas uma vítima dele. Por acaso algume sabe quanto o SUS paga por uma consulta médica? Pedir esmola no sinal é mais rentável! Os vilões da história são os políticos (que com o intuito de desonerar o estado das suas obrigações, sucateiam o sistema público de saúde), e os empresários que comandam os planos de saúde (que têm lucros altíssimos, a custa de remunerar mal os profissionais da saúde). O plano de saúde é uma falsa ilusão... é um SUS maquiado!!! Se fossem remunerar decentemente os profissionais da saúde, os planos seriam 3 ou 4 vezes mais caros. Valorizem não só o profissional médico, mas todos os profissionais da saúde!!! Exijam dos políticos um sistema público de saúde decente!!!!! Enquanto a população seguir considerando o médico o vilão da história, seguirá recebendo a atenção de saúde que merece!

Janaina Oliveira Fala sério... 



Samuel Mirannda Médico hoje em dia, tem mais Status do que dinheiro.
  

  • Segundo dados do portal Educar para crescer: 15,2% das crianças brasileiras chegam aos oito anos de idade sem estarem alfabetizadas? 
Confira como você Pai/Mãe pode ajudar no desenvolvimento de seu filho:
► Cartilha para pais com 49 dicas para ajudar seu filho a ler e a escrever: http://abr.io/cartilha-alfabetizacao (visualização)
► Para download da cartilha: http://abr.io/download-alfabetizacao 
► Principais dúvidas dos professores sobre alfabetização: http://abr.io/respostas-alfabetizacao



(Para ver na página do Youtube: http://www.youtube.com/watch?v=_LGfV3LvZu8&feature=youtu.be)
Clique para ampliar - Fonte: https://www.facebook.com/repertoriopage (Redirecionado através do Google Imagens) indicado por Mailson Dutra.

Exemplo de Mensagem Subliminar
Capa do filme O SILÊNCIO DOS INOCENTES, onde na borboleta há uma mensagem subliminar. Os produtores negam, mas podemos ver claramente as mulheres nuas formando uma caveira - Clique para ampliar, fonte: http://pilandia.com.br/
Entrevista com Luiz Alberto Vicari - Professor do Curso Técnico em Plástico do IFSC ( Instituto Federal de Santa Catarina)

Equipe: Professor, por gentileza comente sobre a sua opnião em relação a influência da Indústria na cultura da sociedade, como ela faz parte da cultura, ou até mesmo como ela manipula o que conhecemos como cultura?
Prof.º Luiz: A Indústria influência tanto a nossa maneira de ser pelo trabalho, por que muita gente trabalha na indústria, então as condições de que muita gente tem dependem da renda, do treinamento, de como a industria trata o seu trabalhador. Também tem outra parte da indústrial fornecendo produtos e nós como consumidores. Já que a indústria está fornecendo produtos que nós utilizamos, precisamos, ou será que ela está forncendo produtos para estar realmente mantendo a estrutura dela, e nós acamos consumido até por influência dos meios de comunicação. A indústria, para que possa vender seus produtos financia, de certa forma os meios de comunicação que dependem de certa forma de patrocínio, mais da indústria do que do comércio. Ela também influência a cultura com produtos novos, tidos como revoluncionários, mas que não nescessáriamente o mercado precisaria, mas está consumindo-os. Mudando a cultura, entram "modismos" por causa disso. Falando de moda, não temos moda somente no vestuário,  temos moda em móveis, automóveis, celulares, produtos, alimentos, então todo este "modismo" tem a influência da indústria. Um "carro chefe" que lança produtos novos para manter a produção dela, não que o consumo destes produtos seja nescessário no modo como vivemos por que grande parte da nossa vida faz parte do consumismo.
 
Entrevista com Ilse Behrens - Coordenadores educacional do SENAC/FATEC Caçador-SC

Equipe: Ilse, sabemos da sua visão sistêmica e holística quanto aos acontecimentos, qual é a sua visão da Indústria na cultura, tanto culta quando no cotídiano.
Coordenadora Ilse: Nós vivem num mundo onde se fala muito da cultura, mas a cultura não é devidamente difundida entre as pessoas, a indústria prepara os meios culturais onde a cultura "vai acontecer", mas por trás de tudo isso tem que haver um ser humando capacitado, atuante, competente, que vá desenvolver. Por exemplo, a industria do eletrônicos. A indústria produz os equipamentos eletrônicos, mas se não tivermos pessoas devidamente eficientes e eficazes para trabalhar com estes equipamentos e fazer a devida difusão, de oque estes equipamentos vão levar. 
   Falando novamente da parte da eletrônica, então o computador, a internet,  é ótimo, excêlente, aproxima as pessoas, leva conhecimento, leva comunicação, notícia, mas se cair na mão de uma pessoa "errada", de alguém sem ética, sem moral, ela (a internet) é totalmente desvirtuada, então ela (pessoa sem ética) usará a informática para induzir as pessoas a pedofilia, a prostituição, as drogas, para fazer com que as pessoas abandonem a família, a escola. Então sempre devemos enfatizar o ser humano atuando na indústria, Então a indústria, faz parte da nossa cultura hoje como nunca fez, desde a invenção da roda, a primeira "técnologia" que começou a fazer parte da sociedade, da vida humana. Depois da roda, o fogo, depois a revolução indústrial e a indústria em si, depois e atualmente a era da informática, antes com gigantescos computadores, hoje com tablets e modernissímos ultrabooks. Então hoje, agora, devemos fazer parte da grande revolução, da mais importante, a (r)evolução espiritual. Sendo que se o ser humano não parar, e pendar no seu papel diante da indústra diante da técnologia, diante da máquina, o ser humano vai se autodestruir.
   Análisando, vamos fazer analogia a um caso clássico, vamos focar na localidade, pensar globalmente, mas agir localmente. A avenida, as ruas, são um classíco exemplo do modismo, lá nós vemos quais são as tendências e pré-julgamos, pré-conceituamos uma pessoa pelo que ela está vestindo usando, ou pelo carro que está dirigindo, não apensas nisso, nos outdoors, nas placas rotatórias, no telão LED. Então, há pouco tempo foram instalados os telões LEDs na avenida, o que é que ele reproduz, durante o dia e a noite, SÓ PROPAGANDA! Não tem nada no telão que possa mudar a minha maneira de pensar, possa enriquecer o meu conhecimento, eu posso ficar ali 24h (vinte e quatro horas), o dia inteiro, e eu apenas estarei vendo propagandas, endereços, números, preços, propostas de compra, então é uma indústria cultural, que não está acrescentando nada, em minha vida, ou no meu conhecimento, na minha cultura. Então, vejo a indústria cultural mesmo sob este aspecto. 
   O que faz parte da indústria cultural? São todos os meios de comunicação, certo! Por trás deles há uma imensa técnologia, uma indústria e até que ponto eles estão nos auxiliando ou prejudicando. E sinceramente, como professora, eu vejo que a indústria cultural está trabalhando pela anti-cultura, pela desvalorização da cultura. Por exemplo podemos ver as novelas, o que elas nos trazem, nos mostram? E são as novelas que a nossa criança assiste, que o adolescente assiste (INTERVENÇÃO DA EQUIPE, NOS LINKS ÚTEIS AO FIM DA PÁGINA, VOCÊS  PODERÃO VER UM TRABALHO UNIVERSITÁRIO SOBRE A INFLUÊNCIA DA TELEVISÃO NA MENTE DE UM JOVEM DO ENSIMO MÉDIO HOJE.), que o adulto, que o idoso assiste, e oque a novela nos passa? Promiscuídade, é roubo, enganação, mentira, as pessoas acambam associando que quanto mais elas enganam os outros melhor elas se dão na vida. Uma criança que assiste isso vai formando em seu subconciênte a ideia de que isso é BOM, de que eu devo enganar, eu devo passar a perna nas pessoas, de que quanto mais eu fazer isso, melhor eu vou me dar, melhor eu serei, também ideias de que eu devo mentir, que eu devo roubar, e acima de tudo EU DEVO COMPRAR, CONSUMIR, COMPRAR. 
   Agora na música, vi recentemente que um dos canais de comunicação televisionada de rede nacional e aberta, está fazendo uma votação para saber o que o povo achar, e qual é a música do século, e até esta semana onde acompanhei na internet, quem estava ganhando era o "Créu". Para vermos como hoje as coisas não são como eram, a música brasileira era agradável, falava de coisas importantes, críticava, o jovem era tão engajado até mesmo politicamente, "ele" repudiava imposições, ele lutava por liberdade de expressão, por autonomia, pela criação, pela criatividade e liberdade de pensamentos. Hoje massificou, até mesmo o objetivo de ir a escola, antes era ler, aquirir conhecimento, participar de grupos, participar do grêmio estudantil. Quem participava do grêmio era considerado a elite da escola, só os mais inteligentes e atuantes, hoje as escolas não tem grêmio, e quando tem, se alguém falar que quer participar do grêmio é motivo de "xacotas", são desmoralizados e são motivo até mesmo de bullying, ou as vezes quem é eleito é a parte popular que influência negativamente, mas é popular. A música hoje não tem mais mensagens, não traz alento para o jovem, então ela é promiscua, e os jovens (poucos) vão em busca de músicas internacionais que tragam este alento, muitos deles o encontram no rock, não o rebelde, mas sim encontram o seu alento, embora a grande maioria o ouça por puro "maria-vai-com-as-outrisse". 
   Os jornais, geralmente você quer ver o jornal para saber das notícias, pois isso é fundamental, mas de cada cem notícias, geralmente não há nem uma que seja positiva no sentido de trazer uma mensagem ou que traga uma possibilidade das pessoas se darem bem na vida. Sem falar do aspecto político-partidário, não quero criticar a política, por que a política é uma coisa boa, nós somos seres politícos, a cidade é a POLIS,
onde deveria acontecer a ETHIC e então nós temos que voltar, ver o que precisa ser resgatado, voltar para encontrar em que momento da história se perdeu esta questão de valorizar o ser humano.
    O Consumidor, vejamos, o consumidor gostar de ser enganado. Quem liga para o PROCON? Quem usa os direitos do consumidor? Quem usa o site que está a disposição http://www.reclameaqui.com.br/ ? O consumidor se sente feliz em ser enganado. Ele compra para satisfazer a sua angústia interior, o seu ego, ele compra para aparecer, para mostrar aos outros, ou para tentar mostrar que é melhor que os outros, mas melhor em que sentido? Então sob este aspecto a indústria, ela está denegrindo a cultura, mas não é culpa da indústria em si, por toda esta alienação, as mensagens subliminares, a dominação da massa. a culpa é do homem, do ser humano, homo sapiens, que está denegrindo a indústria e a usando como máscara. O ser humano está massificando os outros seres e com a massificação, nós perdemos a individualidade, nós deixamos de ser unicos, as pessoas participam de moviemntos culturais, participam por que todo mundo vai, começam a usar drogas por que todos usam, acabam se deixando influênciar, ouve aquela música por que todos estão ouvindo, aquela mesmo que está sendo VENDIDA nas rádios, e ilustrada na televisão, e deixa de ter visão e pensamente critíco, deixa de ter visão organizacional, deixa de ter visão sistêmica. 
ESTE TEXTO FOI TRANSCRITO ATRAVÉS DA GRAVAÇÃO DESTA INTREVISTA, FEITA NO DIA 02/07/2012, NO SENAC/FATEC - CAÇADOR/SC

Entrevista com Luciana Weber - Professora de Sociologia (Não-Efetiva) da Escola de Educação Básica Dom Orlando Dotti em 2012.
Equipe: Por gentileza, comente sobre: • Como a indústria modificou e influênciou na cultura?
Profª Luiciana Weber: A Indústria teve grande importância para o progresso municipal, estadual e mundial. Por que proporcional a melhores condições para os operários, funcionários, principalmente na área educacional, cursos e a valorização do trabalho em equipe, que se reflete na vida familiar e social deste operário, funcionário.

Referências Bibliográficas, Fontes e Links Úteis:

  • http://scienceblogs.com.br/rnam/ - Blog que explica sobre como realmente é ser um doutor Ph.D. atráves de infográficos e esquemas, ganhador do Top100 2011 - Categoria Variedades.
  • https://docs.google.com/a_tv_e_o_jovem_do_EM - É uma síntese de um trabalho universitário entitulado "A TV E O JOVEM", e está no formato pdf, este mostra fatores e provas da alienação. Contextualizando a influência da televisão nos jovens do Ensino Médio (15-17 anos);