9 de jul de 2012

Um mar de conhecimento - Tarefa 5


Um mergulho neste mar de conhecimento, já que somos os Caçadores do Conhecimento (em analogia a cidade de Caçador), AQUI ESTÁ O RESULTADO DA NOSSA CAÇADA DA SEMANA com muita criatividade e competência. O desafio está nos mostrando que temos uma sinergia tão grande que nem imaginávamos. No decorrer das tarefas, estamos pedindo aos nossos colegas e professores para pontuarem nosso blog, e uma sugestão quase unanime da direção e do grupo de professores que está super presente nos acompanhando é que façamos a diferença, postando como realizamos as tarefas. Indicando quem fez cada coisa, quando e como, uma espécie de linha histórico-geográfica do tempo e também que seria importante colocarmos nossas fotos, nomes e idades para que os jurados possam saber de quem é o material que estão julgando e avaliando.. Lembrando que TODOS* os textos e legendas deste post foram feitos pela equipe! *Utilizamos o texto institucional (original) da UNIARP - UNIVERSIDADE ALTO VALE DO RIO DO PEIXE, mas modificados, assim como as noticías das "Tendências para o futuro", que extraímos do portal TechTudo.

Entrevista com Profº Adriano (Professor de Desenho)
   Professor de Artes Visuais da UNIARP ( Universidade Alto Vale do Rio do Peixe ). A UNIARP, A Universidade Alto Vale do Rio do Peixe (UNIARP), com unidades em Caçador e em Fraiburgo, oferece anualmente vagas para cursos de Graduação e incentiva o aperfeiçoamento profissional com ofertas de cursos de Pós-Graduação em diversas áreas. Também faz parte da Universidade, o Colégio de Aplicação que oferece Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio.
   Para atender plenamente as necessidades de acadêmicos e professores, a UNIARP realiza investimentos constantes em estrutura, equipamentos e capacitações. Além disso, mantém convênios com diversas instituições como Sistema FIESC, EPAGRI, FAPESC e outras. A Biblioteca Universitária Comendador Primo Tedesco é outra referência para a comunidade acadêmica e população em geral. O local possui em seu acervo um total de 36.550 títulos e 79.198 volumes.


   A UNIARP faz Educação Superior com qualidade e seriedade há mais de 40 anos, com todos os seus cursos aprovados e reconhecidos pelo Conselho Estadual de Educação (CEE/SC) e Ministério da Educação (MEC). A UNIARP é uma Universidade que cresce a cada ano, através de parcerias e recursos próprios, trazendo aos seus alunos e comunidade de toda a região, educação e atendimento social em suas diferentes áreas de estudo. A Udesc em Caçador funciona no bloco D da Uniarp. A iniciativa foi enaltecida por todas as autoridades que fizeram uso da palavra. O presidente da Fundação Universidade Alto Vale do Rio do Peixe, Gilberto Seleme, salientou a alegria de receber a notícia da instalação da Udesc e reiterou apoio para a continuidade do processo. "Agradecemos o engajamento do Governo do Estado, à 10ª Secretaria de Desenvolvimento Regional, Prefeitura, Câmara, ACIC e várias outras lideranças de Caçador e região", disse. O Sr. Gilberto Seleme, já foi entrevistado pela nossa equipe.


  • MISSÃO
   A Universidade Alto Vale do Rio do Peixe tem como missão
proporcionar condições para o desenvolvimento da sociedade
nos campos técnico-científico, buscando formas alternativas para
planejar o futuro buscando o desenvolvimento sócio-econômico
e político-cultural regional de sua abrangência.

  • VISÃO 
   A Universidade Alto Vale do Rio do Peixe deseja ser reconhecida
como uma Universidade de referência no Estado de Santa Catarina,
pela excelência e qualidades docente e discente, voltada
para a ação comunitária.

  • VALORES 
   Entre os valores da Fundação Universidade Alto Vale do Rio do Peixe estão:,
  • I. Promover o ensino, a pesquisa e a extensão, nas diversas áreas e modalidades do conhecimento humano para a criação, preservação, sistematização e aplicação do saber, com vistas a formar profissionais demandados pelo processo de desenvolvimento do país, para enriquecimento da cultura e promoção do bem-comum;
  • II. Promover ações concretas e coordenadas que visem a melhoria da qualidade do ensino e a integração da Universidade na comunidade local e regional;
  • III. Estimular a criatividade nos diversos campos do conhecimento humano;
  • IV. Desenvolver a iniciação científica como princípio norteador do processo de difusão das ciências e do conhecimento;
  • V.  Incentivar e fomentar a pesquisa e o constante aperfeiçoamento dos docentes.

  

Universidade Alto Vale do Rio do Peixe- UNIARP
Rua Victor Baptista Adami, 800- centro
CEP: 89500-000 Caixa Postal: 232
Telefone: (49) 3561-6200
Print da entrevista feita no Facebook, atraves da página de Artes Visuais da UNIARP, dia 07/07/2012. (CLIQUE PARA AMPLIAR)
Equipe: O que você penda sobre: As mídias e a tecnologia a serviço da educação: qual o impacto desses elementos no aprendizado dos alunos.
Prof. Adriano: Penso que a Educação tem que utilizar de novos meios tecnológicos para sala de aula, como os alunos estão rodeados mídias temos que cada vez mais, sofisticar as aulas. creio que possamos chamar isso de Evolução didática e metodológica. quadro negro não segura a atenção de nenhum aluno! Interdisciplinidade + Tecnologia + criatividade e conteúdo! 


Entrevista com Professora Ana Carla Klaus - Professora de Geografia
Foto: Arquivo Pessoal
Equipe: Como as mídias e a tecnologia podem fazer a diferença no aprendizado dos estudantes?
Profª Ana Carla: Considero que a utilização de multimídias em sala de aula, tanto referente a pedagogia quanto a andragogia é inevitável. Como professores, concorremos diariamente com a evolução tecnológica, e se não nos adaptarmos a ela, paramos no tempo, pois precisamos tornar os conteúdos escolares, tão atrativos quanto os jogos virtuais, as músicas, os celulares de última geração, os Nintendo Wii... Considero como um dos maiores desafios do professor, hoje, conquistar a atenção e o interesse dos estudantes, pelo que estamos falando. Conclui dois cursos universitários, Licenciatura em Geografia e Bacharel em Informática, e exerço as duas funções, simultaneamente, sendo assim, busco sempre associar uma a outra. Considerando também que, com estudos já comprovados, as pessoas aprendem de diferentes formas, visual, auditiva, etc, nada mais apropriado do que utilizar mídias que fazem parte do cotidiano dos estudantes para assegurar tal situação – de aprendizado.
Nintendo Wii - Foto: Divulgação
Entrevista com o Profº Tiago Murilo Mafra - Licenciatura plena em Ciências Biológicas, Coordenador Pedagógico - Pré-Vestibular Conexão - Jaraguá do Sul
Equipe: (leitores mais abaixo vocês poderão ver o trabalho do Prof.º Mafra) Professor Mafra, como acha que a tecnologia, e as mídias e multimídias podem colaborar para a educação?
Prof.º Mafra: Hoje em dia para acompanhar o avanço tecnológico é uma tarefa um pouco difícil, talvez difícil não seria a palavra certa. Talvez uma tarefa empenhada, já que quase todos os dias criam ou remodelam alguma novidade do mundo virtual.
Com o passar do tempo, o perfil dos estudantes vêem mudando a um ritmo ultra acelerado e durante minha vida estudatil acompanhei essa mudança. Presenciei as transparencias, as fitas vhs, os trabalhos em power point que guardávamos em um disquete e hoje vivo e leciono com a relidade virtual de aulas em três dimensões ou com lousas digitais.
A tecnologia bem aplicada em sala de aula ajuda a despertar o interesse e incentivar o método científico, facilitando a visualização e a dinâmica em salade aula. Com o avanço da internet, principalmente das redes sociais, podemos estimular os estudantes a debates diários, tirar dúvidas e ficar por dentro das atualidades.
As mídias e a tecnologia a serviço da educação devem ser usadas como um estímulo e não como o único elemento no processo de ensino aprendizagem.

Entrevista com Humberto Brezolin - Analista de Suporte Técnico e Professor universitário

Equipe: Humberto, na sua visão podemos usar a tecnologia a serviço da educação, fazendo deste um instrumento para o real aprendizado?

Humberto: Em um mundo totalmente agilizado pelas novas tecnologias e pela presença marcante das mídias de comunicação, a cultura educacional adaptou-se para poder acompanhar e aguçar os alunos nesses novos tempos. De imediato vemos uma nova fórmula sendo usada nos sistemas educacionais, o uso de novos recursos gráficos, mídias áudio visuais entre todas as novas ferramentas de inovação tem impactado no modelo de aprendizado. 

Mas a questão é se todas essas novas inovações vem a afetar o nosso aprendizado. Diante de uma visão muito ampla, podemos dizer que o principal impacto que esses novos recursos tem feito, é simplesmente o de "agradar" os alunos em seu meio, ou seja, oferecer a esses alunos elementos que os entusiasmem a compreenderem e entenderem de assuntos tratados em aula. Obviamente, não podemos deixar de relatar que em algumas áreas do aprendizado a tecnologia e as mídias formam um marco entre o antigo aprendizado e o novo. Usar desses recursos de forma produtiva como laboratórios de teleinformática, é muito mais proveitoso que o diálogo sistemático entre professor e aluno. 

Não caracterizamos a tecnologia como um elemento de transformação educacional, pois a tecnologia sempre existiu dentro dos moldes educacionais, mas vejo que os novos recursos computacionais, podem ajudar a obtermos de forma quase que instantânea as informações o qual o aluno almeja adquirir. O maior impacto dessa transformação é em suma a RAPIDEZ com que a informação chega ao aluno. O aluno pode estar diante de qualquer elemento que o ajude no aprendizado, mas de nada servirá se o mesmo não quiser usar ou não saber usá-lo.

Por fim, tanto as mídias e a tecnologia são de fato uma ótima "opção" para o auxilio na educação, mas só causarão impacto no aprendizado, se bem aplicadas e muito bem elaboradas na utilização diante dos alunos.





A tecnologia a serviço da educação
   A evolução mundial é constante, tal como, os avanços em comunicação que nos são transmitidos todos os dias. Por isso a sociedade sofre forte influência sobre esses meios com a inserção de novas mídias, tais como: rádio, TV, computador, DVD e até impressos.
Toda essa tecnologia atrai muito a atenção das pessoas, em especial de crianças e adolescentes.
   Atualmente, essas novas tecnologias, são inclusas na educação, como ferramentas de apoio ao processo de ensino-aprendizagem, claro, sempre dentro das Propostas Curriculares nacionais,  podendo expor essas mídias em sala de aula, levando conteúdos significativos e abrangentes, com a troca de informações existentes dentre os alunos, viabilizando um processo interativo. Unindo o útil ao agradável, fazendo com que a atenção do aluno se volte aos temas propostos, de forma, dinâmica, prática e envolvente.


   A utilização de tais ferramentas, leva a mudanças no ensino de todas as disciplinas, pois a preparação e atualização do professor, continuará sendo uma exigência, tudo deve ser assistido, testado antes, em contrapartida, a clareza de suas explicações, compensará o esforço. Por outro lado, o aluno, com acesso a aulas mais interessantes, passa a disponibilizar tempo e atenção ao que é repassado.

 “A evolução tecnológica mudou definitivamente a educação, seus métodos e valores, passaram a acrescentar qualidades, facilidades e dinamismo à vida do homem, assim buscou-se aperfeiçoar os equipamentos utilizados antigamente a fim de conseguir maior satisfação. O aparecimento de problemas cada vez mais complexos e multidisciplinares faz com que a tecnologia se evolua cada dia mais e mais na busca de equipamentos cada vez mais sofisticados, eficazes, que venham a resolver tais problemas e suprir as necessidades do ser humano”. (SILVA, 2010)

   Na passagem do tempo, são perceptíveis as mudanças nos processos de educação, tanto na substituição de equipamentos obsoletos, quanto na aceitação dos profissionais, em utilizarem as tecnologias. Comparando o formato das aulas, de duas décadas atrás com o formato atual, a inovação é claramente presente, proporcionando mais qualidade e acesso à informação, sem contar a abrangência, num maior número de alunos, que realmente, estão apreendendo as informações.
Temos a necessidade da tecnologia para podermos aprender de fato, hoje é quase impossível separar as duas coisas, já que os livros escolares vem cheios de ilustrações, que foram obtidas através de métodos tecnológicos. Hoje os professores "disputam" a atenção dos alunos com as mídias, celulares e tablets são os principais . Mas se esta tecnologia esta ai, e não podemos "vence-la", por que não usa-la a nosso favor?
Não esqueça de vistar a biblioteca de referências dos Caçadores do Conhecimento: http://meuklausblog.blogspot.com/p/biblioteca-do-desafio-2012.html
No SENAI, nós interagimos com as tecnologias, neste caso, enquanto no "quadro" está projetado que é hora da prova, nós logamos na CISCO e fazemos a prova, amplificando o nosso conhecimento com estas provas online que compõe junto das demais notas nossa média.
Uma composição, para ilustrar a tarefa =D
 Fica o convite!
Khan Academy, Aulas gratuitas em mais de 70 idiomas, de matemática a medicina. Eu particularmente tenho esta ferramenta como fiel ajudante, e quase sempre que há compreensão de alguma matéria na escola está difícil, as video-aulas do Khan conssguem exclarecer melhor já que vemos dois profissionais explicando a mesma coisa, conseguimos muitas vezes vermos os dois lados, duas visão, duas maneiras, possibilidades.

VEDUCA, Videos de aulas em cursos universitários, nas melhores universidades não só do Brasil mas do mundo, temos neste print um momento do Curso de Liderança com o Sen. David Pryor, professor de Harvard.

Aqui, os Online Exercices da WIZARD em parceria com o WeSpeak, temos notas, e todas as lições feitas na práticas depois, em casa, são feitas no computador, com muito mais atividades. Eu também uso o BUSUU, LIVEMOCHA e o GLOBAL ENGLISH através dos cursos a distância gratuitos ds Fundação Bradesco. No MeuInglês.com seleciono a opção de aulas demonstrativas ( algumas aulas grátis ) e baixo muitos podcasts para ouvir a pronúncia, os teachers são Josh e Tâmara.

Neste print, a Networking Academy da CISCO, fazemos as aulas na internet, depois que o professor passa todos os conteúdos no projetor e nós copiamos no caderno, ele libera os PDFs e temos além disso o quiz e o conteúdo no site da cisco (este do print). As provas são todas online, onde se ao fim do ano estivermos com média 8, ganhamos o certificado IT Essentials + Carta de Recomendação que vem direto da CISCO. Uso este sistema aqui no SENAI Caçador.

Neste video, vemos que as tecnologias funcionam também para difundir conhecimento, esta paródia poderia estar condicionada a apenas o colegas de classe destas alunas, porém com a internet, o mundo inteiro pode ver! A internet é um oceano de conhecimento, e nós queremos ajudar você a mergulhar pelas correntes que levarão para o sucesso! Este está sendo um mergulho, onde nós estamos aprendendo a cada tarefa, a cada encontro e ainda fortalecendo nossa amizade e os laços com nossos professores e direção. Temos também o PROFESSOR MAFRA ( meu irmão escoteiro) podemos conferir a profunda atuação da internet em suas aulas no http://profmafra.com/ e http://profmafra.blogspot.com.br/

Funk da Segunda Lei de Mendel

 

Também temos na rede, o canal de biologia do Prof. Paulo Jubilut: http://www.youtube.com/user/jubilut

Novo tablet StudyBook é resposta da Intel às salas de aula do século XXI

    A Intel, responsável histórica por grande parte da evolução no mercado de microprocessadores, sempre teve uma característica bem clara no seu envolvimento com os computadores disponíveis no mercado: fabricar seus CPUs (processadores) e chipsets. Uma exceção a esta regra é o StudyBook. Além de ser uma investida da Intel diretamente no filão dos tablets, é uma continuidade dos esforços da companhia no mercado educacional.
O StudyBook em seu habitat natural (Foto: Reprodução)
O StudyBook em seu habitat natural (Foto: Reprodução)

    Correndo em paralelo a essa tendência (tablets, smartphones), há já citada questão do mercado educacional, já teve outras iniciativas também indicando a possibilidade de um desenvolvimento passando ao largo das tecnologias da Intel, desde o distante “laptop de 100 dólares” do projeto OLPC (com processador AMD) até o recente anúncio da revolução em produção de livros didáticos interativos com o software iBooks Author, cujos produtos só rodam nos iPads. Usuário de Android tem a opção do app Kindle, que através de uma conta na Amazon, pode ler livros gratuitos ou compra-los e lê-los no próprio smartphone ou tablet.
     O OLPC, com o seu bem-sucedido Classmate PC Intel, um modelo de netbook reforçado e de baixo custo, voltado a estudantes, rodando Linux, vendeu cerca de 7 milhões de unidades em suas várias versões.
  Mas qual a relação disso com o tablet StudyBook?
    A relação é que a "onda do momento" são os tablets, e a sua presença no ambiente escolar já vem sendo explorada com uma estratégia clara por concorrentes, como a apple com o iPad. Razão pela qual a Intel mais uma vez não podia ficar parada.
   Surgiu assim o StudyBook (aqui link do produto), anunciado como um tablet de 7 polegadas capaz de rodar tanto o Android Honeycomb quanto o Windows 7. 7 polegadas,certamente é adequado para as interações de mãos de estudantes do ensino fundamental, que são o alvo – ainda mais por pesar pouco mais de meio quilo.
   A Intel não economizou nos recursos: a tela é multitoque, há câmera frontal e traseira, microfone, USB, e, considerando o público-alvo, bastante resistência a impactos, poeira e a umidade. O seu processador, adivinha? Da linha Intel Atom.
   As já mencionadas iniciativas da Apple estão sendo particularmente bem recebidas no ensino médio, e assim a Intel parece ter dado um passo estratégico ao direcionar seus esforços ao ensino fundamental, antes da dominação da maçã, vai saber se não pode haver um iPad Kids.
  Já o OLPC também tem um projeto de tablet em andamento, o XO-3 (incluindo painel solar e manivela opcional, para locais sem energia elétrica) infelizmente, ou não, seus objetivos no mercado parecem ser bem diferentes também.
  A inclusão digital de estudantes da rede pública é uma atividade extremamente importante, e espero que – assim como ocorreu com o Classmate PC – logo que a Intel conclua suas negociações com fabricantes que serão parceiros na produção e distribuição dos aparelhos, tenhamos notícia da chegada deles em projetos-piloto em nosso país (esperamos).
Acessado dia 05 de julho ás 13:02.

Novo projeto da Microsoft pode levar Kinect a salas de aula e de reunião

Há possibilidade até mesmo de arrastar o conteúdo do telão e colar em outro aparelho, tudo com suas próprias mãos. (Foto: Reprodução/ Engadget) 
Há possibilidade até mesmo de arrastar o conteúdo do telão e colar em outro aparelho, tudo com suas próprias mãos. (Foto: Reprodução/ Engadget)
 Para que você possam entender esta notícia da nossa CAÇADA DA SEMANA, vamos começar explicando o que é a tecnologia Kinect: Kinect (anteriormente chamado de "Project Natal" - Nascer em latim) é um sensor de movimentos desenvolvido de última geração, como o Xbox 360. O Kinect criou uma nova tecnologia capaz de permitir aos jogadores interagir com os jogos eletrônicos sem a necessidade de ter em mãos um controle ou joystick, inovando no campo da jogabilidade, já bastante destacado pelas alterações trazidas pelo console Wii e pelo Sony Move.
 Graças ao Code Space, que ha princípio irá integrar telas, smartphones e laptops para compartilhamento de informações. O projeto funciona da seguinte forma: uma tela, com o Kinect, posicionada na sala como uma espécie de centro da rede a ser criada. A partir dela, é possível interagir por meio de uma conexão Wi-Fi com tablets, smartphones e quaisquer dispositivos touchscreen - com a possibilidade até mesmo de arrastar o conteúdo do telão e colar em outro aparelho, tudo com suas próprias mãos.
  O projeto deve ser testado em salas de reunião da própria Microsoft, mas não é muito difícil imaginar a tecnologia sendo transportada para outras companhias e principalmente para salas de aula.

Você já assistiu a aulas online?

Inspirados na Enquete do Portal ITS (http://portalits.com.br/enquete/18/Voc%C3%AA-j%C3%A1-assistiu-a-aulas-online.html) nossa equipe fez o mesmo na escola!

E que impacto isso tudo pode causar?

Apesar dos diversos dados favoráveis a tecnologia na educação, Um estudo feito pela OCDE aponta que não se pode, ainda, concluir o impacto da tecnologia na educação. Os redatores da pesquisa dizem que é necessário analisar os processos desenvolvidos durante o período escolar para se chegar a alguma conclusão. Já conforme um relatório do Pisa do ano de 2009 (Programa Internacional de Avaliação de Alunos), que foi utilizado para a análise citada acima, a diferença de inclusão digital entre os países avaliados é imensa.
Enquanto as estatísticas de Finlândia, Holanda e Noruega chegam a 99,8%, no Brasil é de 30%, já no Quirguistão é de 14%.











Quer conhecimento a mais?
Fonte: Facebook Educação & Cia



Tchau, Tchau visitantes e jurados, até a próxima tarefa com mais uma caçada de conhecimento! Chiquinho Fumaça (Mascote do JASC Caçador).