18 de jun de 2012

Tarefa 2



Clique para ampliar



Decidindo o futuro

Sempre que entramos em ambientes escolares, principalmente de nível fundamental e médio, percebe-se claramente que os assuntos são diversos e gerais, em todas as disciplinas, mais o que também fica óbvio é que todos esses assuntos tem um direcionamento objetivo à realização de um vestibular.
A orientação teórica, literária e científica é repassada nas entidades escolares, mas o maior obstáculo aos alunos é a escolha, dentre tantas, de qual profissão seguir, de que vestibular realizar.
Nas escolas, surgem dúvidas comuns, do que se faz em cada profissão, mas é necessária a busca de informações mais detalhadas, com pessoas ou em locais onde seja possível identificar o que cada profissional realmente faz, abrangendo desde suas responsabilidades, dentro de seu título profissional, até a compreensão de todas as situações e pessoas envolvidas, por suas atitudes, no seu dia-a-dia. Essa pesquisa de campo permite que conhecendo um pouco da realidade de algumas, das inúmeras escolhas presentes, consiga-se ao menos reduzir as opções uma quantidade palpável, dando liberdade de, que se, na escolha final, ainda houver dúvidas, o destino possa dar uma “mãozinha”.
Outras opções para o esclarecimento de dúvidas, vão desde a conversa com profissionais de áreas diversificadas até a pesquisa impessoal na internet, levando em consideração que essa última opção, retorna informações de todos os tipos e sempre é útil a presença de um adulto, ou alguém responsável e confiável que auxilie o aluno-pesquisador a selecionar as informações consideráveis, dos mitos e inverdades constantes na mesma.
A ajuda também pode ser obtida em revistas, jornais, até programas de televisão, que realizam reportagens, entrevistas com pessoas renomadas em suas áreas e que muitas delas, também passaram pela dúvida, quando adolescentes. Mais uma forma é o conhecimento de instituições e de profissionais que “formam” outros profissionais, como exemplo, as universidades, professores universitários, escolas técnicas, etc.
Depois de realizar a escolha do vestibular, o mais apropriado seria retomar as conversas informativas e as visitas aos locais onde trabalham os profissionais, públicos e privados, dentre os quais, gostaríamos de estar presentes futuramente. Estágios de observação também ajudam.

 Num geral, cada estudante precisará “ir atrás” do conhecimento necessário para suprir toda e qualquer dúvida pessoal, já que a escolha é individual e dela depende seu futuro. Os pais, a família, os amigos podem auxiliar na busca das informações, mas a opção é inteiramente responsabilidade de cada um, tal como suas consequências. 
Clique para ampliar

Clique para ampliar
Clique para ampliar
Clique para ampliar



Entrevista com Vinícius Pecinado Gresele - 19 anos - Sonoplasta / auxiliar de aumoxarifado - curso técnico em redes de computadores

Equipe: Para você como pode o jovem hoje fazer suas escolhas? Como fazer pra buscar informações sobre o futuro profissional? Quem pode ajudar e esclarece no momento da escolha do curso?
Vinicius Gresele: pesquisando carreiras em areas afim, entrando em contato com empresas ou funcionarios do ramo, buscando valores e procura de mão de obra para cada area.

Entrevista com Marisa Petrykowski, 34 anos, Diretora da Escola de Educação Básica Dom Orlando Dotti
Equipe: Diretora, em sua opnião há um "caminho promissor" para o mercado de trabalho, vendo que segundo enquete a escola não é uma referência para tirar dúvidas sobre o mercado e até mesmo " não tem esta obrigação"?
Marisa: Sim, há! Com dedicação, muito estudo e responsabilidade. Estar sempre se aperfeiçoando. A escola abre portas para os alunos, um exemplo é a participação neste desafio.. Já que os alunos que participão, procuram profissionais, áreas e até mesmo a renda de cada área, aprendendo muito. A escola é sim um instrumento indireto de preparação para a vida, e não somente para o vestibular.
 

Entrevista com Austin Cox, 19 anos, Minnesota (USA) / Estudante de contabilidade
 
Equipe: Como o que você trabalha atualmente Austin?
Austin: Eu não estou empregado (eu sou um 
estudante de contabilidade na universidade)
Equipe: Na sua visão de mercado de trabalho hoje, como você pensa que os jovens pode se preparar para o trabalho?
Austin: Embora eu já esteja, atualmente, à procura de um trabalho, diz-se que neste verão ( de junho-agosto nos Estados Unidos) cerca de 50% dos universitários não serão capazes de encontrar empregos na área de contabilidade, porém, é um campo com uma demanda alta por isso acho que no momento em que eu me formar vou ser capaz de encontrar um emprego mais facilmente. É importante ter muitas ligações com pessoas em seu campo e mesmo com aqueles que não estão em seu campo de trabalho pois eles podem falar com várias pessoas que poderiam contratar ou recomendar você. ( SE QUALQUER JURADO OU PARTICIPANTE QUISER A CÓPIA ORIGINAL DESTA ENTREVISTA - EM INGLÊS- BASTA ME PEDIR VIA E-MAIL juniorklaus8@gmail.com )