12 de jun de 2012

TAREFA 1: Profissões do futuro e profissões que desaparecerão. Universidade ou Curso Técnico? Existe um caminho mais promissor?



Existe um caminho para a escolha da profissão certa?
Desde o início do desenvolvimento de nosso país, o trabalho, herança dos imigrantes, tornou-se uma obrigação. A educação era voltada a escolha de uma profissão, na época, quase que imposta hereditariamente, sendo que os filhos davam continuidade a profissão de seus pais, dividindo a população em classes, intelectual e de força física. Com o tempo, as “classes” profissionais começaram a se misturar, dando a liberdade de que qualquer pessoa, pudesse buscar em outras cidades, localidades, educação especializada. Hoje, as oportunidades estão cada vez mais acessíveis, tanto em proximidade quanto financeiramente.
Considerando a situação atual, de estudantes, por todo o Brasil, depara-se constantemente com a dúvida de que profissão escolher. Tem-se a plena consciência de que essa é uma decisão que influenciará no decorrer de suas vidas. O complicado é que, com 16, 17 anos, estes estudantes precisarão tomar uma decisão que terá um peso enorme nos seus futuros, nas suas satisfações profissionais e nas suas realizações pessoais. Será que é correto cobrar tal escolha, nessa idade?
Tendo presente a ideia de que essa “injustiça” não tem prazo para deixar de existir, a leitura, o diálogo, a busca de informações, acabam sendo a opção mais sensata, já que a quantidade de profissões e cursos disponíveis no mercado é tão grande quanto a dúvida de qual escolher.
Analisando a dinâmica na realização de cursos universitários e técnicos, surgem diferenças. Na universidade, a maior parte do conhecimento adquirido, é teórica, por exemplo, quando um pedagogo se forma, ele só aprende realmente, em sala de aula,  com as situações cotidianas: como agir em situações, onde precisará trabalhar com 25, 30 crianças, algumas criadas pelos avós, algumas sozinhas, algumas que sofrem abusos físicos ou mentais, outras com problemas de aprendizagem, comunicação, locomoção, etc. A diversidade faz com que nos seus primeiros anos de atividade profissional, o formado, mais aprenda do que ensine. Já nos cursos técnicos, os estudantes, aprendem na prática, mas esta prática é limitada as necessidades das indústrias e do comércio local.
Com o avanço tecnológico constante, a preocupação com o mercado de trabalho no futuro torna-se mais uma incógnita na decisão dos futuros profissionais. Uma coisa é certa, as profissões, se informatizam no mesmo ritmo que qualquer outro setor da sociedade, sendo que o mercado de trabalho está sempre mais, buscando destaques intelectuais, do que destaques de força física. Sendo assim, a atualização constante é algo inevitável, já que existe a opção de escolha por inúmeros cursos técnicos ou universitários, oque realmente servirá de diferencial é oque será feito sobre essa base de conhecimento. A busca por novas informações, por especializações e pelo “encaixe” no mercado, proporciona a proximidade com a garantia de sucesso.
Reunindo essas constatações, conclui-se o caminho mais promissor a ser seguido é o de que cada indivíduo precisa construir seu caminho profissional e transformar seu conhecimento, atualizando-se sempre, estando capacitado para assumir o gerenciamento de situações que, de surpresa, ocorram.
Hoje por exemplo, não se houve falar de pintores de cartazes ou letreiros de Cinema. Apesar disso cada vez mais pessoas tem um curso de Desing Gráfico em seu currículo, mostrando que as profissões não se extinguem realmente apenas se informatizam, atualizam. Uma pessoa desinformada pode facilmente ser comparada com uma floresta sem biodiversidade. Falta-lhe riqueza de ideias (agora sem acento), conhecimento e vida! Querendo ou não, seja na área que for, os profissionais tem que ter preocupação com a sustentabilidade, com a natureza, o meio-ambiente.. e não somente na semana do meio-ambiente. Pois a sustentabilidade além de ser uma "prática" saudável de vida, é extremamente valorizada no mercado de trabalho e em todos os setores, no mundo.
Profissões do futuro

( Clique para ampliar ) 
Com o avanço da tecnologia é cada vez maior a preocupação com o mercado de trabalho no futuro, uma vez que é impossível estar atualizado em tempo real com os avanços. Profissões que até vinte anos atrás eram consideradas promissoras, como especialista em eletrônica ou ferramenteiro, hoje estão em vias de extinção. Um fato é concreto, a tendência é que as profissões do futuro mais próximas a informática, saúde e meio-ambiente, mas principalmente informática e suas tecnologias. A cada dia, os trabalhadores precisam conhecer melhor os recursos tecnológicos, pois é cada vez mais frequente a presença de computadores, desde micro-escritórios a indústrias gigantescas. As profissões do futuro exigirão cada vez menos esforço físico e cada vez mais conhecimento intelectual. E para estar pronto para o mercado, você tem que ser a DIFERENÇA!

“O patrimônio industrial compreende os vestígios da cultura industrial que possuem valor histórico, tecnológico, social, arquitetônico ou científico. Estes vestígios englobam edifícios e maquinaria, oficinas, fábricas, minas e locais de processamento e de refinação, entrepostos e armazéns, centros de produção, transmissão e utilização de energia, meios de transporte e todas as suas estruturas e infraestruturas, assim como os locais onde se desenvolveram atividades sociais relacionadas com a indústria, tais como habitações, locais de culto ou de educação. O patrimônio industrial reveste o valor social como parte do registro de vida dos homens e mulheres comuns e, como tal, confere-lhes um importante sentimento identitário.”
[Carta de Nizhny Tagil, 17 de Julho de 2003]
http://olimpiada.museudeciencias.com.br, (NECESSITA LOG IN) acessado  08/06/2012.  
Infelizmente, as escolas focam no vestibular e não na vida, mas há uma forma de aliar as duas coisas?
Para ser a diferença no mercado, Você não pode ser apenas uma cópia, permita ser "moldado" pela empresa, mas não seja manipulado, lembre-se "Pense fora da -caixa-."

Algumas dicas dadas por diversas revistas, profissionais e sites, compiladas neste "infográfico"!
Entrevista com Volnei Magedans 
Diretor do SENAI CAÇADOR 
Equipe: Em sua visão há um "passo-a-passo" para entrar no mercado de trabalho?
Volnei: Sim há, o 1º passo é acompanhar tendências do mercado em sua região e traçar um projeto de formação, buscando adquirir tais competências. Tal atitude te levará para o mercado.
Equipe: Curso Técnico ou Faculdade?
Vonei: As duas coisas são importantes porém na maioria das áreas o técnico é uma "estratégia", o jovem entra no curso superior com uma boa base. Defendo que a graduação é muito importante após o curso técnico, pois assim o técnico já está "inserido" no mercado.
Equipe: Profissões do Futuro, e as que desaparecerão ou já desapareceram, algo a comentar?
Volnei: Eu não acredito que muitas profissões desapareçam, o que acontece é que as pessoas passam a ser mais seletivas (intervenção da equipe, seletiva no sentido de que: "- Eu não vou ser um pedreiro!"), buscando empregos mais "confortáveis", que não mecham com sujeira ou tenham muito esforço fisíco. Um exemplo é o marceneiro, daqui a alguns anos, junto com o móvel virá um manual onde você mesmo monta o seu guarda-roupas por exemplo. A sociedade passa por transições onde profissões decam, e depois são supervalorizadas (pela falta de profissionais na área - Intervenção da Equipe, exemplo: Profissional de Chapeação, poucas pessoas querem ser um profissional de chapeação, porém todos tem o sonho de ter um carro. Todos estão expostos a um dia necessitarem deste profissional, assim ele poderá fazer o seu preço, e o consumidor o pagará, pois há poucos profissionais na área, não há por que ter um preço mais competitivo.) Quanto as profissões do futuro penso que estão ligadas a técnologia, ao bem-estar/lazer e meio-ambiente.

Entrevista com Sr. Oswaldo Olienick sobre seu trabalho, umas das Profissões que já desapareceram,78 anos, telegrafista, realizada em 09/06/2012, foi uma experiência realmente muito satisfatória, uma experiência que com certeza carregaremos por toda a vida. Conhecimento, história e Guerra do Contestado foram alguns dos temas debatidos, e assim melhor esclarecidos.

Sr. Oswaldo Olienick - Aposentado como telegrafista. 

Profissão exercida?
"Telegrafista, chefe de estação, trabalhando em mais de 30 estações por minha carreira."
De que horas até que horas o senhor trabalhava?
"Em Caçador das 7hrs ás 19hrs, folgando um dia, quando em Videira, trabalhava das 19hrs ás 7hrs, e folgava dois dias."
Com quem aprendeu este trabalho? Ensinou-o a alguém? Por quê?
"Certo dia, na sala de aula, um agente da Viação PR/SC, convidou-me a conhecer a estação, me apaixonei pela profissão. Em 1951, fiz o concurso e passei. Sim, ensinei com satisfação." inclusive ensinou a nossa equipe o código morse, de uma forma super simples para entender e decorar.
Como são as lembranças de seu trabalho?
"Boas lembranças. Considero telegrafia uma arte, que não pode ser esquecida, devemos incentivar a juventude a resgatar esta arte."
Oswaldo, como amante da história, completou a entrevista com uma frase de Aloísio Magalhães: "- A História é como um estilingue. Quanto mais fundo você puxa, mais longe você alcança.”  

PROFISSÕES DO FUTURO



(Clique nas imagens para ampliar)

Entrevista com Ilse Behrens
Coordenadora Educacional do SENAC Caçador/SC

Qual é a visão do SENAC quanto as novas profissões, promissoras, e as que estão "caindo de linha", desaparecendo? "- Bem, Eu não vejo profissões especificas, mas como o SENAC, trabalhamos e vemos áreas, da Tecnologia, Informática e Gestão. As empresas estão precisando de novos profissionais, capacitados, dinâmicos, bem preparados. O SENAC tem a perspectiva de inovação no mercado de trabalho, já pensando no futuro." E a sua visão, pessoal?. " - Como educadora, minha opnião, é que para não adianta haver profissões de linha, sendo que quando os alunos chegam ao atual 6º ano não sabem ler, o governo, deveria apoiar melhor o aluno em si, incentivar o professor, praticar a inclusão, por que ao meu ver, colocar em escolas normais, sem estrutura alguma, tanto fisíca quanto humana, não é inclusão e sim exclusão.

Conforme indicação de uma colaboradora do SESI Caçador, segue abaixo principais destaques da matéria: Os avanços tecnológicos são os principais causadores do desaparecimento de algumas profissões e do surgimento de outras no mercado. A mão-de-obra está sendo substituída pela tecnologia, pela Internet. Cargos como o de corretor de imóveis, carteiro e ascensorista, por exemplo, tendem a desaparecer do mercado de trabalho. "Estamos entrando na era pós-moderna, na era da gestão do conhecimento, o que permite que tudo aconteça mais rapidamente", afirma Fábio Cenati, diretor corporativo de Recursos Humanos da Alstom do Brasil.
Ele explicou que os ciclos, nos dias de hoje, são bem mais curtos. "Quem imaginava que as grandes concorrentes Bhrama e Antarctica, Sadia e Perdigão, Tam e Varig, se uniriam um dia? Ou mesmo que a França, após a Segunda Guerra Mundial, enfrentaria os Estados Unidos?", lembra ele, aconselhando as pessoas a não se surpreenderem com o fim de algumas profissões, pois as mudanças estão muito aceleradas. "Estamos entrando na era da tecnologia, onde mudam os produtos, os processos e as competências, logo, mudam as profissões também", complementa.
Fábio conta que hoje nos Estados Unidos, na Europa e em alguns outros países, não existem mais frentistas de posto de gasolina, cobradores de ônibus e ascensoristas. "Todas estas profissões foram automatizadas, e esta é a tendência do mercado brasileiro", complementa.
A Internet também é um fator de grande influência no surgimento e no aparecimento de profissões, e ela afeta muito as relações de trabalho. "Hoje queremos tudo em tempo real, de imediato", diz Fábio. Por isso que as profissões que irão ao poucos sumir do mercado são aquelas chamadas de intermediárias; um exemplo disso são os carteiros. "Eles são os intermediários de quem manda e de quem recebe uma carta". Mas com o fácil acesso à Internet, é um segmento que tende a diminuir.
Assim é também com os corretores de imóveis. Hoje, é possível visitar um imóvel pelo computador - basta ter acesso à Internet e uma placa de vídeo 3D. "Podemos ver todos os cômodos de uma casa pela Internet e ainda receber explicações sobre o imóvel por e-mail", exemplifica Fábio.
Outras profissões citadas pelo diretor corporativo de Recursos Humanos da Alstom que tendem a desaparecer, ou quase, do mercado de trabalho são as de telefonistas (que já estão sendo substituídas pelo atendimento eletrônico), caixas de banco (trocados pelo caixa-rápido) e arquivistas (que estão tendo seu lugar tomado pelo banco de dados). E até as secretárias estão em baixa. "Atualmente, todo mundo se vira, faz ligações e passa e-mail sozinho", diz Fábio. Você sabia que os empregos de mais sucessos em 2011, não existiam em 2004? É, como diz uma mensagem muito bem elaborada de fim de ano da IEB (Instituto Internacional de Educação do Brasil - http://www.iieb.org.br/) “Estamos preparando estudantes para profissões que ainda não existem que usarão tecnologias que ainda não foram inventadas para resolver problemas que ainda nem sabemos que existem!” Se pararmos para pensar nisso, faz todo o sentido, pois na era da velocidade precisamos estar em constante reinvenção, a adaptação já faz parte do nosso cotidiano, dia após dia.
Adaptado de: AS NOVAS PROFISSÕES QUE DESPONTAM NO MERCADO DE TRABALHO – Reportagem - Jornal Carreira e Sucesso.Acessado em 08/06/2012

Faculdade ou Curso técnico ?

Comparando as duas opções, na faculdade a quantidade de matérias é muito maior já que o tempo também é maior, já no curso técnico o contrário ocorre, já que é tudo muito rápido e também não há tanta teoria, pois foca na prática, em entregar você pronto para o mercado de trabalho. Porém uma faculdade vai valer muito mais na hora de montar seu currículo por ser de muito maior duração e você terá se aprofundado mais no assunto, mas na minha opnião o melhor de tudo na opção faculdade é que você pode "progredir", pode fazer diversas especializações, pós-graduações, mestrados e doutorados. Na minha visão, você entra na universidade achando que tem uma visão ampla, holistica, sistemica, pois tem um gigantesco leque, mas quando você chega em uma especialização, este leque começa a se fechar, a ser menor, porém agora sim você tem uma visão holistica e sistemica e pode ver que o leque esta ainda maior. Os cursos técnicos por assim dizer preparam o aluno para entrar agora no mercado de trabalho, somente com o conhecimento necessário para ocupar tal função, por ser de curta duração o curso técnico foca em questões que são extremamente fundamentais da matéria escolhida, sem muito tempo para as teorias, assim, você não precisará ler e pesquisar, você só irá aprende na pratica e assim estará bem apto para entrar no mercado. Na verdade uma das maiores diferenças entre as duas (Faculdade/Curso Técnico) é a duração, já que o curso técnico dura em média de dois a três anos, enquanto as faculdades duram mais, e há uma maior profundidade nos assuntos, porque na graduação o tempo é maior, na graduação você realmente vai se aprofundar na matéria, o preço também conta muito, os cursos técnicos normalmente são de uma valor  muito mais baixo do que o das faculdades. Fazer um curso técnico não significa que você não precisará fazer uma faculdade, quem sabe a vantagem de se ter no seu curriculo um curso técnico antes da faculdade é que você poderá pagar menos pelo curso. E ter experiencia na área que você escolheu, você já estara em um trabalho de campo tendo assim mais uma oportunidade de escolher, pois depois de entrar no mercado na área que você escolheu, com um curso técnico e já na empresa você assim terá real certeza de que É ISSO QUE EU QUERO! Se for fazer uma faculdade, assim você poderá ter a chance de ganhar bem e assim crescer na carreira que escolher, com especializações, pós-graduações..

Não basta ter qualificação em uma profissão do futuro, você precisa ser destaque!

Dica 1: Ter raciocínio lógico e rápido na hora de solucionar imprevistos.
Dica 2: Sempre procure pesquisar por informação na área que atuará pois sempre há alguma novidade no ramo.
Dica 3: Seja competente e sempre busque interesse e dedicação.
Dica 4: Seja criativo e surpreenda.
Dica 5: Saiba trabalhar em equipe.
Recomendamos:
Link1 - Vídeo - Versão com legendas em português (PT-BR) da última versão do vídeo "Did You Know?" 

Link2 - Vídeo - Jornal Hoje falando sobre as profissões do futuro.


Entrevista com Bruno M. Marcinichen
19 anos, Estudante de Comunicação Social ~ Jornalismo na Uniuv - Canoinhas/SC

Equipe : Faculdade ou Curso Tecnico Bruno?
Bruno : Depende da area escolhida, alguns tecnicos tem o mercado mais rapido, porem podem ser substituido por profissionais formados em faculdade após um tempo. O ideal é começar com tecnico, e após a faculdade.



Gabriela MartiniEntrevista com Gabriela Martini
17 anos, Jovem Embaixadora 2012 - Luís Alves/SC

Equipe: Na sua opnião, Há uma caminho promissor para o mercado de trabalho? Curso Tecnico ou Faculdade? e quanto a Profissões do Futuro e que desapareceram, o que você tem a dizer sobre isso?

Gabriela: Bom, antes de tudo, para ser um bom profissional, você tem que estudar o que gosta e o que tem interesse e se esforçar ao máximo nisso. Sendo em técnico ou faculdade, o ponto é o esforço e vontade do profissional. No meu caso, no meio de Relações Internacionais, onde pretendo seguir carreira em na área de Direitos Humanos, só tenho em vista faculdade. Quanto à profissões do futuro, eu creio que no Brasil as engenharias estão super em alta, mas não quer dizer que outras áreas como a própria RI não esteja, porque, antes de tudo, a relação entre países comerciantes é indispensável. Quanto as que desaparecerão, creio eu que o mercado de profissionais na área da educação, como professores, será escassa num futuro próximo por causa da desvalorização e desrespeito do governo.



Entrevista com William Peres
19 anos, Estudante de Direito - Caçador/SC

Equipe : Em sua opnião, Há um caminho promissor?
William: Vejamos que o que o mercado de trabalho, em suma, exige de seus candidatos, é o conhecimento bem como a sua total aplicabilidade ao ramo desejado, ou seja, não basta saber, é preciso saber fazer, e o caminho é este, pensando na sustentabilidade, bem como na qualidade do profissional e do serviço que se consolida um cenário promissor seja do profissional e assim de todo o mercado de trabalho.
 

Entrevista com Lucas Lipienski
23 anos, militar - Resende/RJ

Equipe: Lucas, na sua visão, Há um caminho promissor para se seguir tendo em mente o mercado de trabalho?
Lucas: Sim há. (é simples) oportunidade de estudo mais dedicação.





Entrevista com Juliano Vieira
26 anos, Formado em Sistemas de Informações - Caçador/SC

Equipe: Na sua opnião, há um caminho para o mercado?
Juliano: O principal caminho para alcançar o mercado de trabalho são as qualificações, a iniciativa e o caráter, são três itens preponderantes para se alcançar uma boa colocação no mercado. O mercado está cada vez mais disputado, e somente os mais preparados não irão sucumbir a estas exigências, portanto é necessário se qualificar de forma correta para que suas qualificações venham a somar de forma concisa na vida do profissional.
Hoje se qualificar é um passo obrigatório para uma carreira bem sucedida, mesmo que para isso muitas vezes seja necessário abrir mão de horários, de horas vagas, afinal não existe bônus sem ônus, o sucesso caminha com a felicidade. Existem várias vagas, porém o preenchimento às vezes não é realizado devido à falta de profissionais qualificados, alguns têm habilidades técnicas, porém não possuem habilidades humanas. Isto nos leva a crêr que a melhor forma para buscarmos um mercado promissor é nos qualificarmos e nos prepararmos para enfrentar um mercado cada vez mais concorrido e restrito. 

Conclusão 

Com isso concluimos que o caminho mais promissor é aquele onde você faz o seu conhecimento ser usado, onde você está sempre atualizado, diversos casos de sucesso partem tanto dos cursos técnicos quanto dos cursos universitários, e inclusive de ambos, sendo assim o que fará de você a diferença, onde todos irão querer você como colaborador é a base de conhecimento que se forma em cima destes cursos. Embora temos 10, 20 opções de cursos técnicos gratuitos, e nenhuma universidade (na região), a acessibilidade é muito maior.