27 de abr de 2015

Jovens Embaixadores da Educação se reúnem em Florianópolis - Conexão Jovem





Florianópolis, 24.04.2015 – “Vocês vão anunciar a boa nova da educação”. Foi assim que o presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), Glauco José Côrte, deu as boas vindas aos 32 estudantes que a partir desta sexta-feira, dia 24, passam a integrar o programa Conexão Jovem, do Movimento A Indústria pela Educação. Eles participam até amanhã (25), em Florianópolis, de um encontro preparatório para atuar como jovens embaixadores da educação. O programa reúne jovens que são destaques em suas comunidades para estimular uma atuação mais colaborativa com a escola e mundo do trabalho.
Em sua fala, Côrte revelou o anseio de envolver os estudantes na causa da educação para que juntos eles possam transformar a comunidade onde vivem. “Estamos trazendo jovens de todas as regiões do Estado para uma missão fascinante que é nos ajudar com o Movimento A Indústria pela Educação. Fazemos isso porque os jovens do mundo inteiro indicaram, em pesquisa recente realizada pela ONU, que a prioridade número um é uma educação de qualidade”, salienta Côrte.
O especialista do Instituto Ayrton Senna, Mozart Ramos, conversou com os estudantes e enumerou dados que demonstram a urgência de ações voltadas à melhoria da educação. “Somos a sétima economia mundial, mas quando falamos do Índice de Desenvolvimento Humano estamos na 79ª posição. Somente a educação é capaz de alinhar desenvolvimento econômico e social e, apesar dos avanços, ainda estamos distantes daquilo que queremos deixar como legado”, afirma. Para ele, estes jovens passam a ser referência para os demais. “O bem precisa ser a regra, não a exceção, e isso só se faz com jovens motivados. Você só constrói uma sociedade mais justa se entregar aos futuros cidadãos um mundo melhor. A educação só é libertadora quando promove valores éticos e morais capazes de gerar felicidade, justiça e oportunizar acesso à escola em todos os níveis”, defende.
O diretor-executivo do Movimento A Indústria pela Educação, Antônio Carradore, destaca que diversos atores já estão envolvidos neste projeto. “São diversos parceiros, mas estamos trazendo agora o ator principal desse processo, que é o jovem. Queremos discutir com ele o que está acontecendo com a nossa educação e juntos encontrarmos caminhos para melhorar a qualidade do ensino oferecido”, afirma.
Para Amanda Zanluchi, que aos 16 anos já decidiu que quer fazer medicina, a iniciativa da FIESC é inovadora. “É uma proposta diferente e vai contribuir para melhorar a educação”. A jovem de Seara está no segundo ano do ensino médio e já participou de olimpíadas de matemática e recebeu menção honrosa. Ela também tem a melhor nota entre os alunos do ensino médio de sua cidade no ano de 2014
Lucas Hoch, de 17 anos, quer participar do movimento para despertar em outros jovens o interesse pelo tema. “Educação te abre muitas portas, é o começo de tudo. Vou buscar formas inovadoras de ensinar e aprender. Pequenos atos podem mudar o mundo”, acredita o estudante de Jaraguá do Sul que aprendeu em casa a importância da escolaridade. Filho de pais que abandonaram os estudos, Lucas foi inspiração que há pouco tempo eles concluíssem a educação básica. O pai é borracheiro e a mãe trabalha como empregada doméstica. Graças ao seu bom desempenho no programa de proficiência em inglês do SENAI, o Conexão Mundo, Lucas viajou para os Estados Unidos este ano.
Em Caçador, Cláudio Klaus Junior, de 17 anos, já teve experiências semelhantes com programas de desenvolvimento pessoal e já atuou como vereador mirim. “A educação é o que me guia e o conhecimento é algo que ninguém pode nos tirar. Vou fazer o que estiver ao meu alcance para que o Movimento siga em frente e seja ainda melhor”, declarou o jovem.
Luana Machado, 19 anos, já tem enraizado o desejo de ajudar o próximo por seu histórico de voluntariado na comunidade onde vive, em Lages. “Acredito no potencial das pessoas e na transformação que é feita pela educação. Não estou lutando por uma causa minha, mas por uma causa em comum, que é para uma comunidade e quando a gente está lutando pelas pessoas não há valor que pague”, ensina a jovem embaixadora.
Neste sábado, os jovens participam de uma atividade em grupo para propor ações de melhoria da educação em suas comunidades. Todos os participantes do projeto passam a integrar as Câmaras Regionais do Movimento A Indústria pela Educação, ao lado dos vices-presidentes da FIESC. 

Fonte:
Elida Hack Ruivo
Assessoria de Imprensa da FIESC
48 3231 4244 - 48 9176 2505
elida.ruivo@fiesc.com.br