6 de ago de 2014

Duolingo Proficiency Exam


https://testcenter.duolingo.com/




Qualquer pessoa que queira fazer um intercâmbio deve possuir um certificado de proficiência na língua do país escolhido. Muitas empresas e universidades exigem que o candidato comprove que tem domínio de um ou mais idiomas, notavelmente do inglês. Conscientes da importância destes certificados, exames tradicionais como o TOEFL e o Cambridge cobram caro (cerca de 200 dólares) e acabam tomando horas do dia.
Exame custa 20 dólares, é feito em apenas 20 minutos e resultado sai no dia seguinte
Com a ideia de democratizar o processo, o serviço de idiomas Duolingo lançou ontem uma plataforma que pode facilitar a vida de muita gente e mudar a forma como os exames são feitos. “Nossa meta é prover acesso universal à educação”, diz Luis von Ahn, CEO e um dos fundadores do aplicativo. “Ensinamos línguas de graça, mas certificar também é importante”, afirma. O Duolingo Test Center permite que os interessados em comprovar sua proficiência se submetam à avaliação no computador ou em dispositivos móveis, de qualquer lugar do mundo.
O teste custa 20 dólares, dura apenas 20 minutos e o resultado sai em até 24 horas. As questões são essencialmente de múltipla escolha, e avaliam as competências tradicionais de interpretação de texto, redação, escuta e conversação. Von Ahn explica que os testes são adaptáveis, característica inviável no formato dos exames já consagrados. “Ao invés de perguntar sempre em um determinado grau de dificuldade, começamos com questões de nível intermediário – conforme o desempenho da pessoa, elas se tornam mais fáceis ou difíceis”, diz.
A prova feita desta maneira requer a utilização de dispositivos interativos como a webcam e o microfone. A gravação de áudio possibilita a verificação da pronúncia e fluência, enquanto a de vídeo serve para que um fiscal humano certifique se o candidato não cometeu nenhuma irregularidade. A segurança do Duolingo Proficiency Exam é outro fator positivo: todas as notas são geradas por computador, eliminando assim o risco de fraudes.
 (Foto: Divulgação)
A equipe do Duolingo desenvolveu o exame durante o ano passado, com base em dados coletados a partir da atividade dos 38 milhões de usuários. Por enquanto, apenas o inglês foi contemplado, mas a empresa pretende expandir a certificação de proficiência para todas as línguas incluídas no serviço. Até o momento, somente a plataforma oDesk e a Universidade Carnegie Mellon já anunciaram que utilizarão o certificado, mas negociações estão sendo feitas com as 25 maiores faculdades dos EUA que, segundo von Ahn, estão se mostrando receptivas à novidade.
O CEO acredita que iniciativas como o Duolingo Test Center devem se tornar cada vez mais frequentes e representar um papel essencial na educação do futuro. Ele defende que esta talvez seja a melhor maneira de levar educação de qualidade àqueles que não têm condições de acessá-la. “Com o sistema de educação offline, muitos bilhões não têm acesso à educação adequada – pretendemos chegar até essas pessoas via celular”, diz. Entretanto, von Ahn crê que a escola e a figura do professor não deixarão de existir. “Quem já tem acesso à educação de qualidade vai aprender algumas coisas pelo computador e outras pelo professor, creio que haverá uma mistura”.