25 de nov de 2011

Árvore, Flor e Planta Medicinal Simbolo de Santa Catarina, Você Conhece-as?

Árvore: Imbuia



-Ocotea porosa;
-Pertence a família Lauraceae;
-É uma árvore nativa dos estados de Santa Catarina e Paraná;
-Também conhecida como Canela-broto, Canela-imbuia, Embuia, Imbuia-clara ou Imbuia-escura, entre outros;
-Ocorre em florestas ombrófilas mistas, Floresta com Araucária, da região dos Campos Gerais do Paraná;
-É uma planta de clima temperado;
-É uma árvore que possui flores pequenas, reunidas em cachos amarelos;
-Também possui folhas pequenas;
-Seu tronco é grosso, as vezes retorcido as vezes retilíneo;
-O tronco pode medir de 50 a 150 centímetros de diâmetro;
-Pode medir de 13 a 30 metros de altura;
-Sua madeira não é dura ou pesada mas sim maleável;
-Sua madeira tem alto valor comercial para a industria madeireira;
-A madeira desta árvore é uma das mais procuradas para a confecção de mobiliário de luxo, por sua cor e beleza;
-É muito usada também em construção civil;
-Seus frutos são procurados por várias espécies de aves;
-Devido à exploração depredatória de sua madeira nobre, hoje integra a Lista Oficial das Espécies da Flora Brasileira Ameaçadas de Extinção, publicada pelo Ministério do Meio Ambiente;
-Existe em Santa Catarina uma imbuia que possui mais de 2.700 anos;
-Por ser muito ornamental, ela é muito usada em paisagismo. 

Fontes: tudosobreplantas.com.br; floraefauna.com; emdiv.com.br; achetudoeregiao.com.br; ecossistema.bio.br e Maria Celia Amorim.


A Laélia Purpurata foi descoberta por François Devos em 1847, tendo-a encontrado em abundante quantidade no litoral da então Província de Santa Catarina, e exportada para a Bélgica e Inglaterra.

Nas décadas de 1920 a 1940 a Laélia foi exportada, através de Florianópolis, sendo Santa Catarina considerada o maior exportador de Orquídeas do Brasil, associando-se o nome desta flor, em termos nacionais, ao nosso Estado.

Dentre todas as flores, a Orquídea é considerada flor nobre e os orquidófilos dão a Laélia Purpurata uma posição de destaque.
Em 13 de dezembro de 1983, o então Governador Esperidião Amin Helou Filho assinou o Decreto n. 20.829 que “Identifica o taxon Laélia Purpurata Lidley variedade purpurata como Flor Símbolo do Estado de Santa Catarina.

Nesta Quarta-Feira(23), Deputados aprovam Espinheira Santa como planta medicinal símbolo de SC

A Assembleia Legislativa aprovou, por unanimidade, na tarde de quarta-feira (23), o projeto de lei 374/2011, que propõe a adoção da Espinheira Santa (Maytenus ilicifolia) como planta medicinal símbolo de Santa Catarina. A votação ocorreu em dois turnos e teve apoio de todos os parlamentares. Antes da votação, cada deputado recebeu uma muda da espécie. O objetivo é incentivar para que a levem até suas regiões e transplantem em um local público.
O projeto foi protocolado pelo deputado Padre Pedro Baldissera (PT), e subscrito pelo deputado Volnei Morastoni (PT). Ambos têm ações na área e buscam, com o projeto, ampliar o debate sobre o cultivo, a utilização e a introdução das plantas medicinais nos tratamentos preventivos e curativos, com a valorização da fitoterapia no serviço público de saúde.
“É um estímulo, já que o próprio SUS reconhece a fitoterapia. É também uma forma de demonstrarmos a importância de uma manipulação adequada e de informarmos a população sobre os usos e cuidados com as plantas medicinais”, explica Padre Pedro. O parlamentar promove, há quatro anos, o Farmácia da Natureza Itinerante, projeto coordenado por Alesio dos Passos – um dos maiores divulgadores catarinenses da fitoterapia. A proposta é informar a população e os agricultores familiares sobre a identificação, o cultivo e o uso seguro das plantas e ervas.
O deputado Volnei Morastoni é o autor da Lei nº 12.386, de 2002, que autoriza o Poder Executivo a criar o Programa Estadual de Fitoterapia e Plantas Medicinais do Estado. Médico e membro da Comissão de Saúde da Assembleia, o parlamentar acredita que a medida incentiva o Estado a efetivamente introduzir as plantas em seu sistema de saúde. “Já existe base científica para isso e em diversos países temos políticas voltadas à fitoterapia”, defendeu.
            Padre Pedro alertou para o fato de que a espécie tem um crescimento lento, o que em muitas regiões levou a Espinheira Santa à extinção. “Ela se adapta a todas as regiões, no entanto, a utilização indiscriminada e a não reposição das mudas pode colocá-la em risco. Esta também é uma de nossas preocupações”, observou. 
 
Propriedade:
A Espinheira Santa é antiulcerogênica, antiasmática, analgésica, diurética, cicatrizante, contraceptiva, antitumoral, reguladora da fertilidade, antiinflamatória, entre diversas outras aplicações. Suas folhas também são utilizadas com sucesso no tratamento de feridas, acnes, eczemas, ulcerações e herpes.